FixoNotícias

Principais sites mundiais de notícias, redes sociais, Amazon e Spotify voltam a funcionar após sistemas de internet saírem do ar

'New York Times', CNN, 'Le Monde' 'Financial Times' e 'Guardian' foram afetados por problema em empresa centralizadora de computação em nuvem, cuja causa não foi revelada

Sede do New York Times, em Nova York: site saiu do ar Foto: Lucas Jackson / REUTERS/1-3-10
Sede do New York Times, em Nova York: site saiu do ar Foto: Lucas Jackson / REUTERS/1-3-10

NOVA YORK — Alguns dos principais sites de notícias do mundo tiveram instabilidade e ficaram fora do ar na manhã desta terça-feira, incluindo os do New York Times, Le Monde e Financial Times. O problema, que também chegou a afetar redes sociais, Amazon e Spotify, foi normalizado cerca de uma hora depois.

A razão para a instabilidade está relacionada com um erro no Fastly, um grande provedor de serviços em nuvem. Segundo a empresa, foi identificada uma falha no seu serviço de CDN (sigla em inglês para rede de fornecimento de conteúdos), que já foi equacionada.

O Down Detector, site especializado na detecção de falhas desse tipo, chegou a apontar uma “avaria de grande envergadura no Fastly”.

As páginas de redes sociais Twitch, Reddit e Pinterest também foram afetadas, assim como o portal do governo britânico e dos serviços de streaming Spotify, Hulu e HBO Max.

Cerca de 21 mil usuários do Reddit relataram instabilidade na plataforma, e mais de 2 mil pessoas fizeram o mesmo com o site da Amazon, segundo o Down Detector.

Ao tentar acessar os portais e aplicativos, o usuário se deparava com o “Erro 503 Serviço Indisponível”, que indica uma dificuldade de processamento no servidor. Até os sites voltarem a funcionar, especulações sobre ataques hackers – como os ocorridos contra a JB e o Collonial nos EUA – eram alvo de discussões nas redes sociais.

Plano B dos sites de notícias

Alguns veículos de impresa colocaram em prática um plano B para manter seus serviços. O Guardian, por exemplo, passou a fazer um blog ao vivo em sua conta no Twitter.

Já o Verge publicou notícias em um documento do Google compartilhado (um Google Doc). A busca por alternativas não ocorreu sem problemas. Um repórter do Verge compartilhou o link do documento que a redação estava usando no Twitter sem querer, permitindo que os internautas editassem o documento.

A falha mostra a confiança que as páginas mais populares da internet têm em um punhado de grandes empresas de tecnologia para ajudá-las a distribuir conteúdo e hospedar usuários.

A tecnologia da Fastly é uma das poucas que atuam como um site de alto nível e serviço de hospedagem de aplicativos que grandes empresas usam para fornecer conteúdo a milhões de usuários simultaneamente.

Interrupção global de distribuição

Redes de fornecimento de conteúdo são uma como a espinha dorsal da internet, compostas por grupos de servidores que trabalham juntos para garantir um desempenho mais rápido.

Elas armazenam versões do conteúdo de um site em diferentes locações geográficas o que, na prática, ajuda a reduzir a distância física entre o servidor e o usuário final. Isso reduz demanda em cima do servidor de origem, acelera o tempo de resposta e reduz as chances de sobrecarga.

Em resumo, em vez de hospedar todo o conteúdo do site em um único conjunto de servidores em um local, o Fastly coloca a infraestrutura em nuvem em dezenas de locais para permitir que as pessoas façam download  das páginas de um servidor mais próximo a eles.

Viu isso?  PF detectou pagamentos no exterior a hacker que vazou dados de 223 milhões de brasileiros

Por exemplo, quando um usuário brasileiro acessa um site americano, a probabilidade é  de que o tráfego passe por um ponto local no Brasil.

 

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo