DestaquesMato Grosso do SulPolícia

Condenado por matar promotor no PE recapturado em MS será transferido sob forte esquema de segurança

De acordo com a polícia, José Maria Pedro Rosendo Barbosa foi preso em Corumbá (MS) quando tentava chegar à Bolívia. Ele está na sede do Garras em Campo Grande (MS).

O homem condenado pela morte do promotor de Justiça Thiago Faria Soares em 2013, José Maria Pedro Rosendo Barbosa, está na sede da Delegacia de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras), em Campo Grande após ser recapturado na manhã dessa segunda-feira (29), em Corumbá, região do pantanal sul-mato-grossense. Ele será transferido sob forte esquema de segurança para o estado de Pernambuco, onde deverá cumprir o restante da pena que é de 50 anos.

Segundo a polícia, ele foi localizado em uma operação das polícias dos dois estados e dos ministérios públicos de Pernambuco e Mato Grosso do Sul na região central da cidade. José também é condenado pela tentativas de homicídio da noiva do promotor, Mysheva Martins e do tio dela, Adautivo Martins, que estavam no mesmo carro no momento do ataque ocorrido em 2013.

Conforme a polícia, ele estava foragido da Penitenciária Barreto Campelo em fevereiro deste ano. Zé Maria, como é conhecido, estava de passagem por Mato Grosso do Sul e o principal objetivo dele era chegar à Bolívia.

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) afirmou que ele se escondeu em áreas rurais na região da fronteira entre os dois países. Segundo a polícia, Rosendo estava na cidade sul-mato-grossense há cerca de 15 dias. Antes, ele teria passado por locais como Cochabamba e Puerto Quijarro.

Segundo a polícia, há pouco dias no estado, o criminoso contava com o apoio de Izabel Cristina de Moraes Brasil, 54 anos, que arrumou esconderijos para o homicida. Ela foi encaminhada para a 1ª Delegacia de Polícia Civil do município, onde foi autuada por favorecimento pessoal, sendo liberada em seguida, já que não há previsão legal de prisão em flagrante para esse crime.

Julgamento e fuga

Em outubro de 2016, José Maria Rosendo foi condenado a 50 anos e 4 meses de reclusão em regime fechado, pela 36ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco, devido ao homicídio doloso do promotor do MPPE e pelas duas tentativas de homicídio contra Mysheva Martins, noiva de Thiago, que estava dentro do carro com ele no momento do assassinato, e Adautivo Martins, tio dela.

Rosendo estava foragido desde 14 de fevereiro de 2019, quando detentos da penitenciária em Itamaracá, no Grande Recife, fugiram com o auxílio de uma escada improvisada. Houve ação de criminosos do lado externo, que dispararam contra agentes da unidade prisional e um policial militar que estava em uma guarita de segurança morreu na ocasião.

Entenda o caso

O assassinato do promotor Thiago Faria ocorreu em 14 de outubro de 2013, na PE-300, em Itaíba, no Agreste de Pernambuco. Durante os quatro dias de julgamento, o Ministério Público Federal (MPF) entendeu que José Maria Rosendo era o único interessado na morte da vítima.

A motivação do crime, segundo a Polícia Federal, envolveu uma disputa pelas terras da Fazenda Nova. Na época do julgamento, o MPF explicou que Faria atuou de maneira incisiva na imissão de posse da Fazenda Nova, onde Zé Maria morava e que foi desapropriada em favor de Mysheva, que arrematou 25 hectares da fazenda, incluindo a casa-sede, em um leilão da Justiça Federal.

Fonte: G1 MS

Mostrar Mais
Botão Voltar ao topo