NotíciasTecnologia

Motorola One Hyper: celular com câmera deslizante custa R$ 2.499

Câmera principal tira fotos de até 64 MP e oferece visão noturna. Smartphone roda Android 10 com nova navegação por gestos.

Motorola One Hyper é o nome do mais novo celular da Motorola, cuja proposta é tirar as melhores fotos do mercado. Ele traz engenhosa câmera deslizante para selfies, câmera dupla de até 64 MP na traseira, o novo Android 10 e ficha técnica intermediária. O lançamento tem preço sugerido de R$ 2.499. As vendas se iniciam nesta quarta (10), por ora somente na cor azul oceano.

Senhoras e senhores, a câmera deslizante

O One Hyper respira fotografia. Parte da linha One da Motorola, o smartphone tem a proposta de desempenhar bem uma só função, neste caso a de registrar imagens.

Comecemos pelas selfies. A Motorola bebeu da fonte de gigantes chinesas ao desenvolver uma câmera deslizante que se apresenta somente quando necessário. O engenheiro de produto Thiago Masuchette explicou ao TechTudo que o mecanismo leva no máximo um segundo para completar a exposição do sensor.

A câmera de selfies tira fotos de até 32 MP, ajuste recomendado para ambientes com mais claridade. Já a tecnologia Quad Pixel marca presença para combinar os pixels em fotografias com dimensões menores, porém com qualidade maior em situações de baixa luminosidade.

O telefone é programado para rapidamente recolher a câmera caso detecte uma queda. Nos nossos testes, o mecanismo foi bem-sucedido em realizar a proteção, mas é preciso conduzir mais experimentos em condições cotidianas.

A equipe de engenharia da Motorola atesta a durabilidade do mecanismo ao longo de até três anos, tempo máximo que a maioria dos usuários costuma permanecer com um mesmo celular.

Vale lembrar que 2019 mostra-se um ano recheado de iniciativas relacionadas à câmera frontal. O Zenfone 6 utiliza a câmera flip e o Galaxy A80 adota uma função giratória. A Motorola se junta a estas empresas em projetos para dar fim ao notch, aquele recorte no display para comportar a câmera.

A câmera dupla

Na traseira do One Hyper está a câmera dupla disposta da seguinte forma:

  • Câmera principal de 64 MP com função Quad Pixel e abertura f/1.8
  • Câmera ultra wide de 8 MP, 118º e abertura f/2.0

A câmera principal oferece modo Ultra-Res, em que o telefone gera a imagem final em 64 MP. O uso é indicado para ambientes iluminados. O usuário também pode recorrer ao Quad Pixel, indicado para condições de pouca luz por combinar os pixels e elevar o nível de detalhes.

Já a câmera ultra wide, uma febre do mercado, permite registrar uma parcela maior da paisagem ou um número maior de pessoas. Ela auxilia na produção de retratos com fundo desfocado, bem como um sensor ToF presente no aparelho.

Detalhe da câmera traseira com dois sensores: 64 MP Quad Pixel e 8 MP — Foto: Thássius Veloso/TechTudoDetalhe da câmera traseira com dois sensores: 64 MP Quad Pixel e 8 MP — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Detalhe da câmera traseira com dois sensores: 64 MP Quad Pixel e 8 MP — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

A Motorola destaca ainda a presença da função de visão noturna do Motorola One Vision, para capturar momentos em que quase não há iluminação. Ela é compatível com a câmera principal e com a câmera de selfies (não funciona na ultra wide, portanto).

Ficha técnica e Android

O Motorola One Hyper tem tela de 6,5 polegadas construída em painel LCD, como já é tradição da marca. A resolução Full HD+ está em linha com os melhores smartphones à venda no Brasil. Também há o formato 21:9, defendido pela fabricante por possibilitar uma melhor leitura de notícias ou visualização de mais fotos em redes sociais como o Instagram.

Motorola One Hyper: tela de 6,5 polegadas, resolução Full HD+ e nenhum notch — Foto: Thássius Veloso/TechTudoMotorola One Hyper: tela de 6,5 polegadas, resolução Full HD+ e nenhum notch — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Motorola One Hyper: tela de 6,5 polegadas, resolução Full HD+ e nenhum notch — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

O hardware inclui processador Snapdragon 675 (Qualcomm), RAM de 4 GB e armazenamento de 128 GB (compatível com microSD). Nos primeiros testes, o smartphone foi competente em tarefas como navegar pela internet e pelas fotos salvas na galeria. São necessários mais momentos com o telefone para bater o martelo sobre o desempenho computacional.

Há novidades como a recarga rápida tipo Hyper, uma invenção da Motorola para indicar telefones super-rápidos neste quesito. O plugue de tomada tem 45W. A promessa é de 12 horas de autonomia após 10 minutos de recarga, o que dá cerca de 30%. Ou ainda, de até 75% de carga após meia-hora conectado à tomada. O componente comporta 4.000 mAh.

Por fim, a biometria por impressão digital depende de um sensor circular na traseira do telefone. Ele está envolto num sistema de iluminação que se acende quando está sendo recarregado e pisca quando chegam notificações. O usuário pode configurar conforme o próprio gosto diretamente nos ajustes do sistema Android.

One Hyper roda Android 10 — Foto: Thássius Veloso/TechTudoOne Hyper roda Android 10 — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

One Hyper roda Android 10 — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Por falar no sistema, a Motorola faz sua estreia no Android 10 com o novo telefone. A principal diferença está na renovada navegação por gestos. Agora ela lembra os movimentos com o dedo trazidos pela Apple com o iPhone X e presentes até hoje nos smartphones da maçã. Em nossos testes, a tecnologia não mostrou a que veio, com alguns problemas no entendimento dos gestos e algumas pequenas falhas nas animações gráficas (ao minimizar apps, por exemplo).

Fonte: Tech Mundo

Mostrar Mais

Editor GDS

ultrawebtecnologia

Relacionados

Close
Close