Tecnologia

Motorista de Uber cria ‘carro à prova de covid-19’ na Bahia

Em Salvador, um motorista de transporte por aplicativo implementou adaptações em seu veículo para proteger seus passageiros e sua família contra a covid-19. Marcelo Oliveira teve a ideia em fevereiro, logo após o Carnaval, quando um amigo de São Paulo o alertou sobre os riscos da doença.

Apesar de ter enfrentado o estranhamento dos colegas de trabalho e passageiros, o motorista é atualmente admirado pela criatividade e cuidado. O processo de adaptação foi gradual, segundo Marcelo. Agora, seu carro conta com película de isolamento, comunicação através de um sistema de áudio e até mesmo ar condicionado individual.

“Minha maior motivação foi o medo. Eu preciso me prevenir porque também utilizo o carro para levar meu pai idoso para fazer hemodiálise duas vezes por semana”, disse o motorista.

Distanciamento durante as corridas

a  Marcelo Oliveira/Reprodução

No começo, ele utilizava alguns kits vendidos pela internet que incluíam apenas uma película de plástico para isolar os bancos traseiros do carro. Contudo, durante os atendimentos aos clientes, Marcelo identificou quais melhorias poderiam ser feitas.

Com formação em técnico de eletrônica, ele utilizou seus conhecimentos para adicionar novos sistemas de proteção. “Botei um amplificador, depois fiz a adaptação com o ar condicionado. Esta última, eu adaptei ao perceber que seria ruim ficar com o carro aberto em dias de chuva”, explica.

Além dessas melhorias, seu veículo ainda possui um dispositivo para realização de pagamento em dinheiro, entradas USB para carregamento de celular, luvas e álcool em gel.

Popularização das adaptações

a  Marcelo Oliveira/Reprodução

Após a ideia ser bem-sucedida, outros motoristas começaram a pedir que Marcelo também realizasse as adaptações em seus veículos. Até o momento, o técnico já modificou cerca de 30 carros em Salvador.

O custo dos materiais fica em torno de R$ 500. No entanto, como uma forma de ajudar os colegas, o motorista não costuma cobrar pela mão de obra. “Disseram que eu era maluco. Hoje em dia, quem me criticou está pedindo para que eu faça adaptações no carro deles”, diz.

Mostrar Mais
Close
Close